Você sabe o que é Nomofobia?

Nomophobia é o termo em inglês que significa “No Mobile Phone Phobia”, refere-se à ansiedade ou angústia que algumas pessoas sentem quando não há um telefone celular por perto. Os principais sintomas são: ansiedade, inquietação, tensão, irritabilidade e desconforto geral.

A ferramenta de mídia mais comum e concreta no momento é o telefone celular, ele sem dúvidas esta mudando o hábito das pessoas de forma invisível, tornando-se gradualmente parte das “pessoas” e ocupando cada vez mais o dia a dia. Faz tempo que a nossa vida foi completamente alterada pelos smartphones, a aceleração do desenvolvimento tecnológico foi e esta sendo um marco da historia humana, hoje testemunhamos a formação de uma nova paisagem social, ao qual vislumbrava-mos apenas em obras de ficções científica.

Não há duvida, sobre como a tecnologia mudou a minha e a sua vida, é inegável que as mudanças tecnológicas trouxeram novas oportunidades de desenvolvimento para toda a sociedade e promoveram enormes mudanças. Como nem tudo são flores, assim como na revolução industrial, toda inovação tecnológica tem seus pros e contras, a nossa atual fase está sendo marcada por um aumento significativo dos problemas sociais relacionados à saúde mental, nunca se falou tanto em termos como: cyberbullying, ansiedade, depressão, exaustão mental (burnout), isolamento social, etc.

Especialmente com a popularização dos smartphones foi proporcionado ao público em geral condições de se conectar à Internet a qualquer hora e em qualquer lugar. Mas, ao mesmo tempo, para os indivíduos, com a elevada frequência e fragmentação da utilização dos dispositivos, muitas pessoas ficam realmente presas no oceano de informação provocado por essas mudanças e não conseguem se libertar.

Um fenômeno relativamente comum é que hoje em dia a comunicação das pessoas com o mundo é cada vez mais conduzida no mundo virtual, em vez de depender da realidade. Por exemplo, os jovens gostam de comunicar em através de jogos, chats online, e trocar opiniões em várias plataformas sociais, etc.

As pessoas utilizam esse como o único meio para consumir informações, resultando, em muitos casos, uma notável desconexão com o ambiente ao redor ao desligarem seus dispositivos móveis. O vício e a ansiedade gerados pelo excesso de informações saturadas têm se tornado uma preocupação amplamente reconhecida.

Do ponto de vista prático, por um lado, as pessoas estão preocupadas com o fato de que, na era da Internet das coisas, se você deixar a Internet por um tempo, poderá ser abandonado por coisas novas. Isso não se reflete apenas na comunicação diária entre as pessoas, mas também na interação com os indivíduos, sendo mais concreto em trabalhos intimamente relacionados com a sobrevivência.

A maior parte da comunicação tornou-se de certa maneira mais confusa devido a comunicação assíncrona em softwares de mensagens instantâneas, que muitas vezes estendem o tempo da conversa, aumentando consideravelmente a ansiedade. Além disso, a sobrecarga de informações nos dispositivos móveis continuamente ultrapassam as capacidades físicas e psicológicas das pessoas. Para lidar com esse excessivo volume de informações, os usuários precisam dedicar sua atenção por mais tempo, que por sua vez, aumenta a pressão de forma inconsciente.

Estudos demostraram que ao receber e processar uma grande quantidade de informações em curtos períodos de tempo causa supressão da atividade do córtex cerebral, resultando em ansiedade informacional, síndrome do déficit anti-informação e outras doenças. Se você já está em uma situação semelhante há muito tempo, ao desligar o telefone, a súbita sensação de pânico será ainda mais grave, refletindo-se em um planejamento irregular do tempo e na incapacidade de planejar e organizar o tempo de lazer.

Além disso, as principais plataformas utilizam mecanismos de recomendações personalizadas baseado na experiência do usuário, tornando o conteúdo consumido cada vez mais atrativo com o passar do tempo. A maior parte do conteúdo nas redes são vazios, superficiais enfadonhos e repetitivos, mas para o público em geral, o divertido conteúdo trazido pelos celulares, é sempre melhor do que um trabalho complicado. As pessoas tendem a mergulhar no uso do celular porque, comparado à realidade, o conteúdo ali oferecido ao menos traz um prazer no nível sensorial, uma alternativa mais agradável do que lidar diretamente com o trabalho. Esse comportamento contribui para a dependência do celular criando um sentimento, onde as pessoas acreditam não podem viver sem ele.

As inovações tecnológicas frequentemente interagem com os mecanismos operacionais da sociedade humana. O surgimento dos smartphones foi desde o inicio planejado como uma ferramenta criada para mudar a comunicação e interação social, vemos hoje que essas mudanças causadas nos nossos hábitos são, sem sombra de dúvidas, uma manifestação concreta da transição para uma nova revolução tecnológica.

Em última análise, fenómenos desse tipo são “sequelas” trazidas pelo progresso tecnológico, e os factores por trás dele tornaram-se um problema que não pode ser ignorado pela sociedade moderna. Contudo com problemas desse são difíceis e lento de identificar, a opção mais eficaz que as podemos fazer é apelar e orientar.

Sobre Nicolau 11 Artigos
Fuçando o desenvolvimento de software desde 2013, sou da turma do código aberto, vivo pesquisando e garimpando a segurança na web. Sommelier de sucos e chocólatra de carteirinha. Hic svnt dracones.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*