A Gestão de Mudanças

Quando o assunto é gestão de TI, várias dúvidas surgem na cabeça das pessoas. Afinal, a gestão de TI engloba diversos pontos, muitos que as vezes não percebidos, ele engloba. E quando falamos de gestão de mudanças de TI, o que é e o que não é abordado?

                Bom, afinal o que é uma mudança em TI? Essa pergunta pode parecer simples, porém muitos não sabem realmente o que ela engloba. A gestão de mudanças foi feita para alinhar qualquer alteração de operação, da mais simples que seja até uma mais complexa. Mudanças de políticas da empresa, troca de sistema, inclusão de opção no layout sistema, dentre outras.

                A gestão de mudanças existe por causa da resistência. Sempre tem um usuário que não aceita a mudança, ou que de alguma maneira tenta resistir a ela. Lidar com esse tipo de situação é algo que não é fácil, e exige muita saia justa para conseguir.

                Por isso, separei algumas dicas de abordagens e práticas que aprendi em cursos e eventos que vi por aí.

  1. Envolvimento de Stakeholders:  É algo que a ITIL menciona muito, e com certeza faz todo o sentido. Afinal, são eles que irão dizer o que realmente precisa ser mudado, para quando e alinhar internamente com cada um.  O alinhamento entre essa parte, é fundamental para que a entrega seja feita com a melhor aceitação possivel.
  2. Treinamento e capacitação: Capacite os usuários antes de implantar qualquer novidade. As novidades já geram uma resistência. Imagina quando o usuario não sabe nem como isso funciona. Treinar não apenas o usuario final, mas tambem o gestor direto dele. Afinal, quando ele clicar errado no sistema e informar que não está funcionando, o gestor precisa saber que ele está fazendo o procedimento errado.
  3. Gestão de Mudanças Gradual:  Ao invés de implantar um sistema novo do zero, implante em partes. A mesma coisa ocorre com uma mudança interna por exemplo. Não mude 100% uma política de boas maneiras ou procedimentos internos. A TI também não gosta de fazer sempre uma coisa, e partir de amanhã é obrigado a fazer outra.
  4. Identificação e gestão de preocupações: Antes de qualquer mudança, meça a dor do cliente. Qual a preocupação com essa mudança. Quem será impactado e qual o tamanho desse impacto.
  5. Monitore e colha feedback contínuo: O ato de implantar algo em produção é tão lindo né? Pois bem, não é. Apenas implantar uma mudança da mais simples que seja, não resolve o problema. Precisa acompanhar, colher feedback e dependendo do caso, voltar um passo atras se a mudança não surtir efeito.

A mudança não é algo fácil, e a resistência dos usuários com ela atrapalha mais ainda o processo. Por isso, a necessidade de implantar ao poucos e criar abordagens cuidadosas, ajuda muito e não confunde o usuário.

Sobre Bianca Dezorzi 92 Artigos
Pós Graduada em Gestão de T.I, estou sempre aprendendo e consumindo conteúdos de Gestão. Atualmente sou Customer Success Manager na BNP e coordeno uma poderosa Central de Serviços. E nas horas vagas? Amo passear na natureza com meus cachorrinhos.

1 Trackback / Pingback

  1. Os tipos de Gestão que trabalham em conjunto com a TI - 4Future

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*