Jornada de Migração para o Azure parte 4 – AWS para o Azure

Nosso quarto artigo da série de migração da infraestrutura para a nuvem, neste artigo vamos migrar seu servidor da cloud da Amazon AWS para o Microsoft Azure, esse tipo de migração é chamada cross-cloud migration ou migração entre nuvens.

Caso você tenha perdido os outros artigos da série, onde abordamos os modelos de migração, migração onpremise para nuvem e migração da VPS Locaweb para o Azure, você pode encontrar a lista dos artigos abaixo:

Jornada de migração para o Azure parte 1 – 4Future

Jornada de Migração para o Azure parte 2 – Azure Migrate – 4Future

Para realizar a migração de seu servidor na AWS, vamos utilizar a ferramenta Azure Site Recovery (ASR) do Azure, essa ferramenta robusta permite proteger ou migrar seus servidores através de vários cenários:

  • Onpremise to cloud / ambiente local para a Nuvem
  • Cross-cloud Migration / Migração entre nuvens
  • Cross-region migration / Migração entre regiões
  • Onpremise to Onpremise / Migração entre localidades com Hyper-V

A proteção pode ser configurada para 30 segundos e 5 minutos, ou seja, dependendo da criticidade do seu workload, você pode escolher perder 30 segundos de informação ou 5 minutos (RPO).  Mas esse número importa somente em um desastre da sua estrutura local, como vamos fazer a migração, não terá perda de informação.

CENÁRIO

Vamos começar nosso artigo mostrando nosso cenário:

Mapa do Cenário

Como já expliquei nos artigos anteriores, quando queremos migrar estrutura que não é compatível com o Azure, vamos tratar o servidor virtual como se fosse máquina física e para realizar a migração, precisaremos de um “servidor intermediário” que fará a função de Process Server, esse Process Server terá a função de converter as informações da máquina virtual que queremos migrar e torná-la compatível com Azure.

AMBIENTE AWS

Ambiente AWS com um servidor Windows 2019 e é essa máquina que vamos migrar:

Servidor na Amazon AWS

Abaixo trazendo informação sobre o Nome do Servidor

Hostname

PRIMEIRO PASSO – Provisionar Windows Server para ser nosso Process Server

Aqui vamos criar uma máquina virtual em seu ambiente AWS, essa máquina precisará estar na mesma rede que o servidor que você pretende migrar.

Nova instância AWS para Process Server

Não vou entrar no detalhe de como criar uma instancia AWS, a única coisa que você precisa se atentar é o tamanho do disco que deverá comportar todo o tamanho do servidor que você quer migrar, exemplo:

Servidor que você quer migrar possui 100GB, o servidor de Process Server deverá ter pelo menos 100GB de espaço em disco disponível.

Servidor Process Server

Depois, recomendo que crie uma regra de segurança de entrada para o Process Server acessar a máquina sem problemas:

Regra de segurança para a rede de servidores

No meu caso eu liberei toda a rede interna para comunicação, mas caso você queira restringir, as permissões de segurança deverão conter:

  • Liberação de saída (outbound) nos protocolos http e https (portas 80 e 443) para os seguintes endereços:
    • *.hypervrecoverymanager.windowsazure.com
    • *.accesscontrol.windows.net
    • *.backup.windowsazure.com
    • *.blob.core.windows.net
    • *.store.core.windows.net
  • Liberação de entrada para o servidor Process Server na porta 9443 no protocolo https

AMBIENTE AZURE

SEGUNDO PASSO – Criar o cofre de recuperação do Azure Site Recovery

Antes de instalarmos nosso cofre de recuperação, vamos precisar instalar uma Rede Virtual e uma Conta de Armazenamento:

Rede Virtual:

Azure Site Recovery no Azure Market Place

Não vou entrar nos detalhes de criar uma rede, apenas que ela precisará estar no mesmo grupo de recursos (e região) de seu cofre de serviços, abaixo segue um resumo da minha implantação:

Rede Virtual no Azure

Depois de criada a rede, vamos criar nossa conta de armazenamento:

Conta de armazenamento no Azure

Aqui também vou utilizar todas as configurações padrões, com exceção do item “Proteção de Dados” que deveremos desabilitar a exclusão temporária (que não é compatível com o ASR)

Desabilitar exclusão temporária

Feito isso, podemos instalar o cofre de serviços, mas vamos fazer esse processo dentro do servidor Process Server.

Vamos acessar nosso novo servidor e de lá vamos acessar o portal do Azure, acessando o market place vamos procurar por “Backup and Site Recovery”:

Azure Site Recovery Market Place

No início de 2022 a Microsoft lançou a versão prévia do novo Azure Site Recovery, que contém a nova proteção para VMs do VMware, e essa versão não contém a proteção para máquina físicas, para habilitar essa opção, basta mudar para experiência clássica:

Versão Preview Azure Site Recovery

Depois de clicar nessa opção, vai aparecer o item para voltar para Experiência clássica com a opção de proteger servidor físico:

Versão clássica Azure Site Recovery

Agora que a opção de servidores físicos foi habilitada, vamos clicar em Site Recovery -> Computadores VMware para o Azure -> Preparar a infraestrutura:

Preparar Infraestrutura

Na próxima tela, vamos selecionar se já executamos o planejador de implantação ou não, nesse artigo não vou abordar isso, mas se você quiser pode executar o planejador para estimar quais serão os recursos do Azure:

Planejamento de Implantação

Na próxima opção vamos selecionar o item NÃO na pergunta “As suas máquinas são virtualizadas?” e depois clicar em “Adicionar Configuration Server”

Configuração de Origem

Depois basta fazer o download do Azure Site Recovery Unified Setup e da chave de registro do cofre:

Baixar configurações do Process Server

Caso o download do Agent não esteja disponível, poderá fazer o download da versão antiga através desse link:

https://support.microsoft.com/en-us/topic/update-rollup-59-for-azure-site-recovery-kb5008707-66a65377-862b-4a4c-9882-fd74bdc7a81e

Após baixar o arquivo, execute, e já na primeira tela vamos selecionar o Process Server:

Instalação Azure Site Recovery Unified Setup

Após selecionar o arquivo, ele executará um auto test, no meu caso ele alertou algumas opções como warning mas nada que impeça de continuar com a instalação:

Checagem de pré requisitos

Próxima etapa será solicitada a senha do root para o mysql, basta adicionar uma senha com os requerimentos mínimos tal como: P@ssw0rd

Configuração do MySQL

Na próxima opção será perguntado sobre VMware e vamos selecionar a opção NÃO

Detalhes do Ambiente

A última opção será sobre a sua interface e a porta para receber o tráfego:

Configuração de porta e interface

Feito isso, é só aguardar a instalação.

Instalação efetuada com êxito

Agora vamos configurar as credenciais para acessar o servidor Windows:

Configuração das credencias de acesso ao servidor que será migrado

**Caso a tela de configuração não abra, basta clicar no executável Cspsconfigtool.exe que estará na área de trabalho

Pronto, nesse momento seu servidor de processo já deverá aparecer no ambiente de proteção:

Configuração do servidor de origem – Process Server

Próximo passo é a configuração de destino, onde vamos selecionar a nossa vnet criada anteriormente:

Preparação da rede de destino

Feito isso, vamos criar nossa política de replicação, estou configurando todas as configurações padrão, pois só vamos utilizar o recurso para migração:

Após validação, basta aguardar a finalização do processo:

Configuração de politica de replicação

Pronto, a configuração inicial está concluída.

Caso você tenha instalado o Azure Site Recovery Unified Setup através do link, acesse a opção Infraestrutura do Site Recovery -> Configuration Servers e clique para atualizar o software:

Atualização do Azure Site Recovery Unified Setup

TERCEIRO PASSO – Habilitar replicação da VM na AWS

Agora vamos fazer a instalação do Azure mobile Agent para começar a sincronização do servidor da AWS

Vamos na opção Itens replicados -> Replicar -> VMware e computadores físicos para o Azure:

Iniciar Replicação

Já na próxima tela vamos selecionar em Tipo de Computador, a opção Computadores Físicos:

Configuração da replicação

Na opção seguinte vamos selecionar as opções já criadas anteriormente:

Configuração das informações do servidor que será migrado

Agora vamos em Adicionar Computador Físico:

Fazer a busca do servidor na rede da AWS

Nas opções, vamos definir um nome e adicionar o endereço ip interno de sua máquina virtual:

Servidor Adicionado com Nome e IP

Após a descoberta, o servidor deverá aparecer nas opções:

Habilitar replicação

Após isso, vamos configurar o servidor de aplicação e lá vamos apontar nossas credenciais que foram criadas anteriormente, no meu caso é “adm-aws”

Agora só finalizar para dar início ao processo replicação:

Progresso da Replicação

QUARTO PASSO – Migrar Servidor da AWS para o Azure

Após a proteção ter sido concluída, vamos agora migrar nosso servidor, para isso basta clicar em Failover:

Inicio do Failover da AWS para o Azure

O Processo de Failover dará início ao provisionamento dá cópia do servidor que está no Azure, no meu caso o failover foi realizado em menos de 2 minutos:

Progresso da Migração

Assim que o processo finalizar e o servidor estiver provisionado, você perceberá que o local ativo vai ser alterado para Microsoft Azure:

Servidor Migrado para o Azure

E poderá perceber que estará disponível no grupo de recurso:

Servidor disponível no grupo de recursos

E a máquina estará disponivel para acesso:

Servidor após o processo de boot

A utilização do servidor agora já pode ser acessado no Azure e poderá desligar os seu servidor que está hospedado na AWS:

Acesso com os endereços do Azure

Chegamos ao final dessa jornada, mostramos como migrar seu servidor do ambiente local, migrar sua VPS da Locaweb e agora um servidor em nuvem pública que é a Amazon AWS. Basicamente abordamos os principais pontos, e com essa base você conseguira desenhar diferentes cenários, tal como migrar de Google ou outros players, adaptando tudo o que você aprendeu aqui para migrar seu workload com êxito.

Nos vemos na próxima jornada
Até mais😉

Sobre Jackson Martins 26 Artigos
Aquele cara que não cansa de aprender e estudar! Empresário, Blogueiro, Instrutor e até youtuber. Curioso por natureza, não desisto até aprender e entender como tudo funciona 😜

1 Trackback / Pingback

  1. Jornada de Migração para o Azure parte 3 – Locaweb para Azure - 4Future

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*