Jornada de Migração para o Azure parte 2 – Azure Migrate

Continuando a nossa série, hoje vamos usar o Azure Migrate para fazer a migração de seus servidores virtuais

Caso você tenha perdido o primeiro artigo, basta clicar no link abaixo:

O QUE É O AZURE MIGRATE?
O Azure Migrate é um painel que centraliza todo seu projeto de migração em um único ponto. Ele te ajuda a descobrir, mensurar e migrar aplicativos web, servidores e Banco de dados, utilizando várias ferramentas Microsoft e de outros fornecedores independentes.

Com essa plataforma de migração unificada você consegue iniciar, executar e acompanhar sua migração para o Azure.

Migração de servidores IaaS

A ferramenta de migração pode ser usada nos seguintes cenários

  • Máquinas virtuais do VMware = Consegue migrar as máquinas virtuais do VMware sem precisar de instalação de agente, direto de seu vcenter ou host vmware.
  • Máquinas virtuais do Hyper-v = Instale o agente direto no seu host de hyper-v para fazer a migração
  • Servidores Físicos ou outros players de nuvem = Para servidores Físicos ou de outras nuvens (que trata o servidor virtual com se fosse físico) você precisará de um servidor intermediário (Process Server) que fará a ponte entre o servidor físico que você quer migrar e o Azure

CENÁRIO

Cenário de Migração do Hyper-v onpremise para o Azure com o Azure Migrate

Ambiente Hyper-V

Host do Hyper-V com uma servidor virtual (VM)

O ambiente utilizado nesse artigo é um servidor host de Hyper-V com o nome de SRV-HYPER-V com uma máquina virtual criada chamada SRV-JORNADA com sistema operacional Windows Server 2016

CONFIGURAÇÃO
Antes de iniciar, precisamos preparar o ambiente e nesse ambiente vamos precisar de uma VNET (virtual Network) e uma conta de armazenamento (blob storage). Primeiro passo da configuração, é logar no portal do azure e no market place da Microsoft criar a rede virtual que vamos utilizar e obrigatoriamente você precisará: Criar um nome para essa rede, criar um espaço de endereço para essa rede, selecionar a assinatura, selecionar ou criar um grupo de recursos, nomear uma subrede e criar um intervalo de endereços para essa subrede.
conforme imagem abaixo:

Criar rede virtual pelo Market Place do Azure

Parâmetros de configuração da VNET

Configurações básicas da VNET

Segundo passo é criar uma conta de armazenamento na mesma região em que você criou a subrede, conforma imagem abaixo

Conta de Armazenamento no Azure Martket Place

Parâmetros de configuração da Storage Account

Configurações básicas da conta de armazenamento

*Não esquecer de remover a opção de exclusão reversível na aba proteção de dados, caso contrário essa conta não poderá ser utilizada pelo Azure Migrate

Agora vamos instalar o Azure Migrate através do Market Place da Microsoft:

Azure Migrate pelo Market Place do Azure

Após a instalação, essa será a tela de entrada:

Central do Azure Migrate

PREPARAÇÃO – Descobrir o Ambiente

Esse passo poderá ser ignorado, esse assistente fará um relatório do seu ambiente para te ajudar na decisão de migração. Se você já sabe das considerações de migração, poderá ir direto para o “Primeiro Passo” desse artigo. Vamos clicar do lado esquerdo no item “Servidores, bancos de dados e aplicativos web”

Descoberta de ambiente do Azure Migrate

Na tela a seguir, selecione o seu virtualizador, nomeie a chave do projeto e selecione o arquivo para ser feito o download e instalado sem seu hyper-v

Configuração Descoberta de ambiente

Clique em Gerar chave para gerar a chave do projeto e copie ela para algum lugar:

Chave do Projeto

Depois faça o download do arquivo zip e descompacte-o, após isso execute o powershell em com privilégios de administrador:

Azure Migrate Installer extraido

O prompt interativo começar a dar as opções, selecione de acordo com seu ambiente (no caso desse artigo é o Hyper-V)

Powershell Migrate Scenario Installer

E essas foram todas as minhas opções

Resumo das opções e Instalação

Finalizada as configurações, eles dará a url de acesso, no meu caso foi essa:

https://SRV-HYPER-V:44368

O usuário e senha é o mesmo do seu administrador local do servidor.

Configuração Assessement

Na chave do projeto, você deverá colar a chave que foi criada no inicio da configuração. Após a etapa de atualização, será solicitado o logon do Azure e permissão de execução do powershell em seu ambiente, após a autenticação será iniciado o registro do seu servidor.

Credencias de acesso ao portal do Azure

Agora com as configurações completas, vamos começar a descoberta, primeiro vamos adicionar as credenciais:

Credenciais de acesso ao Host do Hyper-V

Após adicionada as credenciais, vamos adicionar o ip de seu hyper-v (ou a lista dos seus virtualizadores) no meu caso estamos utilizando somente 1 servidor de hyper-v vou no item “adicionar item único”

Configuração de IP do Host do Hyper-v

Verifique o status da validação para continuar com a implementação:

Status da descoberta do Host do Hyper-V

Agora adicione as credenciais de domínio para o serviço conseguir executar o inventário de software nas máquinas virtuais:

Credencias do Administrador de Dominio

E por último clique em iniciar descoberta no final da página

Inicio Descoberta

Finalizada a descoberta vamos ao portal do Azure conferir os resultados:

Resumo da descoberta

Agora você terá uma visão de cada dispositivo (computador) e o que está instalado nele, aplicação, banco de dados etc. Lembrando que essa descoberta pode variar de minutos até 24 horas

PRIMEIRO PASSO – Criar um projeto de migração

Vamos iniciar o processo de migração do nosso servidor virtual que está no Hyper-v, o primeiro passo é criar um projeto na tela principal:

Criar Projeto de Migração

Nomeie o projeto da maneira que quiser e selecione o destino geográfico que pretende mandar as vms:

Configuração iniciado do Projeto

Baixe o instalador e depois baixe as credenciais para validação

Download Azure Site Recovery Provider

Execute o instalador do Azure Site Recovery Provider

Instalação do Azure Site Recovery Services Agent

Após a instalação clique em register para vincular a chave de registro

Registro da Chave
Registro do Host do Hyper-V

Se tudo estiver certo, apresentará uma tela de sucesso no registro do servidor:

Servidor Registrado com Sucesso

Agora vamos voltar ao portal do Azure, deverá aparecer seu host do Hyper-v registro:

Host do Hyper-V registrado com Sucesso

Agora só clicar em finalizar o registro.

SEGUNDO PASSO – Criar um plano de replicação

Com seu servidor hyper-v registrado no ambiente do Azure, agora vamos criar um plano de replicação da sua máquina virtual. Na tela de ferramentas de migração, vamos clicar na opção “Replicar”

Azure Migrate Iniciar Replicação

Na primeira tela vamos selecionar a opção Hyper-v para encontrar nosso host registrado:

Host do Hyper-V para servidor de replicação

Na próxima tela vamos pular a etapa de avaliação e selecionar nosso servidor:

Configuração de proteção da máquina virtual

Agora vamos selecionar o grupo de recurso que está a storage e a vnet que foram criadas anteriormente:

Configuração do destino para o Azure

**Caso você tenha o software  assurance poderá selecionar a licença e economizar custo

Na próxima tela vamos selecionar o tamanho da máquina virtual o sistema operacional e o disco que está instalado o sistema operacional da máquina virtual que estamos migrando.

Configuração da proteção da máquina virtual

**Você também poderá deixar a opção de “selecionar automaticamente o tamanho da VM” o Azure ira avaliar a VM local e selecionará um tamanho correspondente.

Finalizado o processo o serviço começará a replicar sua máquina virtual para o Azure, você pode acompanhar de duas formas, você pode acessar o grupo de recursos e vai perceber que foi criado um cofre de backup com o nome do seu projeto:

Cofre

Ao abrir você poderá localizar a opção Itens replicados no canto esquerdo e ver o status da sincronização de sua máquina virtual:

Máquina virtual protegida no Azure

A outra opção é abrir o Azure Migrate e conferir o status da replicação:

Acompanhamento de Status pelo Azure Migrate

Clicando no servidor vai poder acompanhar o status:

Visão Máquina Virtual Protegida pelo Azure Migrate

Você pode também clicar na opção “Visão Geral” e terá uma outra visão do seu ambiente:

Dashboard Status no Azure Migrate

Agora só aguardar o término da sincronização para iniciar a migração

TERCEIRO PASSO – Migração

Antes de fazer a migração, recomenda-se fazer o test failover e o que seria esse teste?

Test Failover = O teste failover consiste em subir um ambiente de teste, isolado, para você fazer uma validação e ter a certeza de que a migração vai funcionar sem problemas, como é um teste a sincronização da máquina não será afetada e após finalizar os testes você poderá destruir o ambiente.

Como esse ambiente é de demonstração, vou pular essa etapa de teste e ir direto para a Migração.

Antes de iniciar, você pode também conferir o status da replicação no seu servidor Hyper-v, acessando a máquina virtual:

Status da Replicação pelo Hyper-V

Poderá acompanhar a porcentagem de sucesso da replicação para o Azure

Status da Replicação da máquina virtual

Com o status da replicação OK, vamos agora iniciar a migração, para isso vamos acessar o Azure Migrate:

Inicio Migração com Azure Migrate

Na tela que abrir, vamos solicitar para desligar a máquina virtual para evitar perda de informações, ou seja, o Azure Migrate vai desligar o ambiente local, assim não terá gravação de dados e só depois dará início a migração:

Selecionar as máquinas para serem migradas

Ao clicar em migrar, o processo será iniciado e você poderá acompanhar a etapa por etapa da migração:

Acompanhamento do status da migração

Perceberá que a VM será desligada e você não terá permissão de ligá-la:

Erro ao tentar inicar máquina virtual no Hyper-V durante a migração

No meu caso a migração demorou apenas 13 minutos e é uma média, vai depender muito da última replica a ser enviada, tamanho do diferencia e largura de banda do link:

Operação de Migração Concluída

Finalizado o processo de migração, podemos acessar nossa máquina virtual migrada pelo grupo de recursos:

Acesso a Máquina Virtual Migrada pelo grupo de recursos no Portal do Azure

É possivel acompanhar o status da máquia virtual pelo diagnóstico de inicialização:

Status da inicialização da Máquina virtual no Azure

Acesso testado e validado, máquina migrada, já podemos agora remover a proteção acessando o Azure migrate e clicando em “Replicando computadores”

Depois vamos clicar na opção “parar proteção” essa opção vai liberar o ambiente local e vai excluir a “proteção” da VM.

Remoção da proteção da instancia já migrada

No próximo post vamos mostrar a migração de uma máquina virtual de um player de nuvem Locaweb, mas utilizando o processo manual (que pode ser replicado em outros provedores) e pode ser conferido no link abaixo:

E no quarto artigo dessa série vamos mostrar a migração de uma máquina do ambiente AWS utilizando o Azure Site Recovery.

Nos vemos nos próximos posts
Até mais 😉

Sobre Jackson Martins 26 Artigos
Aquele cara que não cansa de aprender e estudar! Empresário, Blogueiro, Instrutor e até youtuber. Curioso por natureza, não desisto até aprender e entender como tudo funciona 😜

3 Trackbacks / Pingbacks

  1. Jornada de migração para o Azure parte 1 - 4Future
  2. Jornada de Migração para o Azure parte 3 – Locaweb para Azure - 4Future
  3. Jornada de Migração para o Azure parte 4 – AWS para o Azure - 4Future

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*