Relatório do Power BI com uma consulta OData

Já elaboramos um breve resumo sobre o protocolo OData. No entanto, como ele opera na prática dentro do Power BI? Neste artigo, demonstrarei como realizar consultas utilizando consulta OData no Power BI.

O protocolo OData oferece uma forma eficiente e padronizada de acessar e manipular recursos de dados via web. Sua integração com o Power BI abre portas para uma análise de dados mais dinâmica e acessível.

Neste exemplo, farei uma demonstração de como conectar os dados do Azure DevOps ao conector OData no Power BI.

Vamos começar com os Pré-requisitos

  • É imprescindível ser membro de um projeto. Caso ainda não faça parte de nenhum projeto, é necessário criar um. Para mais informações, consulte o processo de inscrição gratuita.
  • Se ainda não foi adicionado como membro do projeto, será incluído agora. Qualquer pessoa com acesso ao projeto, exceto as partes interessadas, tem permissão para visualizar as visualizações do Google Analytics.
  • A configuração da permissão “Exibir Análise” deve estar definida como “Permitir”. Para orientações sobre como conceder permissões para acessar o Google Analytics, consulte o guia correspondente.
  • Os quadros devem estar ativados. Caso estejam desativados, consulte as instruções para habilitar ou desabilitar um serviço do Azure DevOps.
  • Registre os itens de trabalho ao longo de um período de tempo para gerar um relatório de tendências.

Consulta no Power BI

Crie uma Consulta do Power BI para extrair os dados para o Power BI da seguinte maneira:

  1. Escolha Obter Dados e, em seguida, Consulta nula.

Utilize a consulta a seguir:


let
   Source = OData.Feed ("https://analytics.dev.azure.com/{organization}/{project}/_odata/v4.0-preview/WorkItemSnapshot? "
      $apply=filter(
          WorkItemType eq 'Bug'  
      AND StateCategory ne 'Completed'  
      AND startswith(Area/AreaPath,'{areapath}')  
      AND DateValue ge {startdate} )/
      groupby((DateValue,State,WorkItemType,Area/AreaPath), aggregate($count as Count))  
      &$orderby=DateValue"
     ,null, [Implementation="2.0",OmitValues = ODataOmitValues.Nulls,ODataVersion = 4]) 
in
    Source

Troque os dados na pesquisa de exemplo conforme necessário.

A pesquisa de amostra contém sequências de caracteres que precisam ser trocadas pelos seus próprios dados:

{organization} – Denominação da sua empresa {project} – Título do projeto da sua equipe. Ou pode omitir/{project} completamente para uma pesquisa em todos os projetos.

{areapath} – O caminho da sua área. Estrutura: Projeto\Nível1\Nível2

{startdate} – A data de início do seu relatório de tendências. Formato: AAAA-MM-DDZ. Exemplo: 2022-09-01Z para setembro de 2022. Não é necessário usar aspas.

  1. Escolha Concluído para executar a consulta.Se você nunca se conectou à sua conta, o Power BI pode exigir que você se autentique.

Faça a modelagem das colunas

A consulta retorna várias colunas que você precisa expandir antes de usá-las no Power BI. Qualquer entidade puxada usando uma $expand instrução retorna um registro com potencialmente vários campos. Você precisa expandir o registro para nivelar a entidade em seus campos. Exemplos de tais entidades são: AssignedTo, , IterationArea.

Depois de fechar o Editor Avançado e enquanto permanecer no Editor do Power Query, selecione o botão de expansão nas entidades que você precisa nivelar.

  1. Por exemplo, escolha o botão de expansão para Área, selecione as propriedades que deseja expandir e escolha OK. Aqui, escolhemos AreaName e AreaPath achatamos. A AreaName propriedade é semelhante ao campo Nome do Nó.

Criar Relatório

O Power BI mostra os campos sobre os quais você pode gerar relatórios.

*Vamos supor que até o momento todas as alterações necessárias nos dados já tenham sido realizadas.

Para um relatório simples, siga estas etapas no Power BI:

  1. Selecione o Gráfico de Linhas como visualização.
  2. Adicione o campo “CompletedDate” ao Eixo X.
  3. Clique com o botão direito do mouse em “DateValue” e selecione “DateValue” em vez de Date Hierarchy.
  4. Adicione o campo “Priority” à legenda.
  5. Adicione o campo “LeadTimeDays” ao Eixo Y.


O Lead Time Days exibe o tempo médio em dias em que as tarefas levam para serem concluídas desde que foram magistradas pelo Product Owner. Este gráfico cruza o tempo médio associando com a prioridade da tarefa. O propósito deste indicador é entender o tempo médio que as requisições do cliente demoram para serem completamente atendidas.

Sobre Janaina Valim 77 Artigos
Como Analista de Dados, minha paixão é desvendar insights valiosos e transformá-los em estratégias de sucesso. Constantemente em busca de novos conhecimentos, minha jornada vai além das planilhas e gráficos. Fora do mundo dos dados, sou uma apreciadora entusiasta de vinhos e cervejas, sempre em busca de novos sabores e experiências.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*