Open Banking – A inovação da tecnologia financeira com APIs e, o fim, do casamento monogâmico com os bancos.

Você com certeza já ouviu falar nesse tal de Open Banking, mas, afinal o que é isso? Qual a tecnologia envolvida? Isso me beneficiará?

O que é Open Banking?

Bom, na prática, Open Banking significa um “sistema bancário aberto”. Isso permitirá o compartilhamento de dados de clientes entre diferentes instituições financeiras, como uma espécie de rede de dados. Os dados só poderão ser compartilhados, com a autorização previa do cliente, que poderá, solicitar e autorizar esse compartilhamento.

O Open Banking, tende a revolucionar o sistema financeiro, que atualmente conhecemos no Brasil, pois, o consumidor passará a ser cliente de um sistema financeiro nacional, e não mais de uma única instituição financeira. Aquele “casamento monogâmico” com apenas um Banco acabou. Isso porque, a burocracia para mudança de instituição financeira e para migração de serviços será menor, uma vez que, os bancos e prestadores de serviços deverão compartilhar os dados e informações de clientes, sejam de pessoas físicas ou jurídicas. Atualmente as instituições financeiras gerenciam esses dados de maneira interna. Será uma evolução do sistema bancário atual.

Toda essa tecnologia que é conhecida como APIs, irá permitir a ampliação de produtos e serviços financeiros, as estratégias serão diferentes as instituições financeiras passarão a vender comodidades, conveniência, tudo isso, adequado a diferentes perfis de clientes. A competição entre os bancos passará a ser mais acirrada, isso porque, a gama de produtos financeiros ficará mais ampla, e os clientes serão donos dos seus próprios dados financeiros.

Millennials demais até aqui?

Fica tranquilo, no Reino Unido o Open Banking já é uma realidade, Estados Unidos, Austrália, Japão, União Europeia e Hong-Kong também já estudam como implementar esse sistema.

Diversos países já iniciaram a ideia do open banking — Foto: Divulgação/Banco Central do Brasil
Diversos países já iniciaram a ideia do open banking — Foto: Divulgação/Banco Central do Brasil

Agora vem saber mais sobre essa tecnologia…

O que são as APIs?

APIs (Application Programming Interface) que no português literal significa – Interface de Programação de Aplicativos, ou seja, API pode ser traduzido como um conjunto de normas que possibilita a comunicação entre plataformas através de uma série de padrões e protocolos, a partir disso, podemos dizer que é uma maneira simplificada de conectar a própria infraestrutura por meio de aplicações nativas em nuvem. Assim, quando é aberto, permite a integração, acesso e conversação entre duas ou mais plataformas.

Podemos resumir com isso, que o Open Banking é a abertura das APIs, de instituição financeiras, é dessa forma, que as informações de pessoas físicas e jurídicas poderão ser compartilhadas no mercado entre as diferentes instituições. Claro que, tudo isso, de forma segura, e eficiente, como já citado todo esse compartilhamento só poderá ocorrer com a autorização previa do consumidor.

Muitas empresas são famosas por terem suas APIs abertas. Um bom exemplo são os sites que usam APIs abertas de redes sociais, para criar cadastros de forma mais prática e eficiente – esse é um bom exemplo para comparação, tendo em vista que, só funciona se o cliente permitir o compartilhamento de seus dados.

Conclusão

Os clientes passarão a ter maior liberdade e autonomia sobre seus dados, isso irá reduzir a burocracia, para mudança de instituições financeiras. No sistema atual, com a mudança de instituição financeira parte das informações ficam perdidas no caminho, com o Open Banking as informações não ficarão presas nesse sistema. Com a integração dos processos gastos intermediários também serão cortados, o que vai tornar o processo mais rápido e barato.

O Open Banking também irá reduzir algumas barreiras de entrada para novos produtos e serviços, o que deixará o ambiente mais competitivo e com opções mais amplas para o consumidor.

Vale ressaltar, um dos passos mais importantes do Open Banking, é garantir a segurança de dados dos clientes. A ideia é que tudo o que acontece no âmbito do Open Banking seja observado de perto pelo BC – portanto, a tendência é que a operação e dinâmica do Open Banking sejam seguras.

O Brasil atualmente está na fase 2 de 4 fases de implantação do sistema de Open Banking. A fase 4 tem previsão para iniciar no dia 15/12/2021. Além disso existe um cronograma previsto para 2022, ano em que acontecerá a liberação gradual de outras funcionalidades.

Foto: Divulgação/ https://openbankingbrasil.org.br/

Ate lá acompanharemos ansiosos toda a evolução desse processo.

Sobre Janaina Valim 2 Artigos
Uma economista se aventurando no mundo da tecnologia, fascinada em aprender e descobrir coisas novas.

2 Comentário

  1. Vocês sabem qual tecnologias que estão sendo implementadas nessa solução?

    Se tem algo relacionado com blockchain. Minha dúvida é, quem fica responsável por esses dados?

    • Alguns especialistas e cientistas de dados acreditam que pode ser que o Blockchain não seja exatamente o viabilizar do Open Banking. Porém, será alguma outra tecnologia que terá o Blockchain como embrião.
      Sobre as responsabilidades existe uma RESOLUÇÃO CONJUNTA Nº 1, DE 4 DE MAIO DE 2020, que diz que “A instituição participante é responsável pela confiabilidade, pela integridade, pela disponibilidade, pela segurança e pelo sigilo em relação ao compartilhamento de dados e serviços em que esteja envolvida, bem como pelo cumprimento da legislação e da regulamentação em vigor”.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*