A evolução dos negócios e modelos de empresas do ABC com o Polo Tecnológico e o Hub de Inovação.

Em 1998 eu vivia um momento desafiador e empolgante para um adolescente de 16 anos de origem pobre.

Acabara de passar para o curso técnico de Mecânico Geral no Senai Jacob Lafer em Santo André, no ABC Paulista.

Naquela época tudo o que eu via e ouvia falar era sobre a expansão das indústrias na região do ABC, com demandas crescentes de mão de obra especializada em automação de robôs, mecânico de manutenção com amplos conhecimentos em hidráulica/pneumática, especialistas em centros de usinagem CNC (comando numérico computadorizado), PCP (Programa de produção computadorizado), Sistemas de Gerenciamento de Produção etc.

Alguns meses depois de ingressado no curso do Senai, fui agraciado pela indicação de um dos meus professores de usinagem (o mestre Militão) para concorrer a uma vaga de estágio remunerado em uma gigante internacional -Philips Lithing. Passei, uuuhulll!

Após o período de curso, fui efetivado e ali comecei a minha trajetória profissional com muito entusiamo e planos de crescimento.

Em 2001, já trabalhando como mecânico de manutenção, tive a oportunidade de comprar meu primeiro computador, graças ao empréstimo remunerado de um colega de trabalho (agiota rsss). Apenas para efeito de comparação, naquela época um bom computador custava o valor de uma moto 125CC… era caro pra “carvalho”!

O zelo era tão grande que até “capas de proteção” eu comprei para o computador, o que não adiantou muito pois meses depois já estava todo amarelado.

Foi atraves da tela de um monitor desse aí da foto (popularmente conhecido como Monitor de Tubo) que tive meus primeiros contatos com o mundo da tecnologia da informação.

Era fascinante saber que tudo que a indústria demandava de automação e tecnologia para a produção, sairia do uso e conhecimento de microcomputadores.

Foi então que percebi que o futuro seria mais desenvolvido em tecnologia do que eu estava vivenciando a época, e que haveria novas soluções baseadas em TI para acelerar processos, procedimentos e otimizar custos.

O salário/bolsa que eu ganhava na ocasião era uma fortuna para os padrões que tínhamos em casa e isso me proporcionou contratar cursinhos voltados para utilização de computadores, pacote office, navegação na internet, o revolucionário Paint Brush (rss) etc.

Em 2004 fui convidado a sair da Philips (anos depois as duas unidades que havia na região foram fechadas devido à crise gerada pelo apagão de 2001), e foi o empurrãozinho que eu precisava para realmente partir para empreender.

20 anos depois enxergo que os polos industriais e de outros setores que não se modernizaram perderam competitividade.

Ao longo desse período, vi grandes empresas como TRW, Philips, Cofap, Tupy Fundições entre outras, fecharem suas unidades na região e outras até mesmo encerraram suas atividades no Brasil.

Ao longo desse período, os empregos foram mudando de exigências e formações, e hoje vemos que o setor de tecnologia corresponde a muitos postos de trabalhos na região.

Atualmente a cidade de Santo André abriga um Parque Tecnológico que por intermédio do HUB de Inovação promove pesquisas e desenvolvimento de novos produtos e processos de forma sistemática e continuada.

O programa faz a ligação entre empresas e startups, universidades, Centros Tecnológicos e ICTs da região, promovendo maior integração e fortalecimento do ecossistema de inovação do ABC.

A essência do Parque Tecnológico de Santo André é a integração e colaboração entre os atores locais de ciência, tecnologia e inovação, e irá se somar às estruturas já existentes das sete cidades que compõem o Polo Tecnológico do ABC.

Essa região é altamente relevante para o país, com o quarto maior PIB do Brasil, terceiro maior valor adicionado da indústria e com o quinto maior mercado consumidor do país.

O mundo está em constante evolução, se você não andou para a frente no dia de hoje… sinto lhe dizer mais você já ficou para trás.

Roberto Pereira

CEO do Grupo BNP Soluções em TI

Sobre Roberto Pereira 1 Artigo
Pai de duas princesas, empreendedor em tempo integral, tenista de final de semana, amante de pesca e que não dispensa um convite para um Chopp e uma boa conversa.

1 Comentário

  1. Concordo totalmente!
    Os negócios evoluíram muito e as empresas que não inovarem todos dia ficarão para trás facilmente e deixarão de trazer benefícios ao nosso querido ABC.

    Parabéns por sua trajetória inspiradora!

    Grande abraço!
    Anderson Amorim da Surround – Tecnologia em Sonorização de Ambientes – Mauá SP

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*